Início

Notícias

Associação diz que medicamentos podem não chegar aos consumidores

25/05/2018

Publicado em 24/05/2018 - 18:05

Por Agência Brasil São Paulo

No quarto dia de paralisação dos caminhoneiros, 6,3 milhões de medicamentos, que atenderiam 90% do território brasileiro e 2,4 milhões de consumidores, estão ameaçados de não chegar ao destino final. O alerta é da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). A entidade informou ainda que alguns veículos foram apedrejados e os motoristas agredidos durante o percurso entre os centros de distribuição e os pontos de venda.


Febrafar discute trade marketing no canal indireto

25/05/2018

On 24 Maio, 2018

A Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar) recebeu, no dia 22 de maio, o 1º Workshop Trade Marketing Farma – Canal Indireto, que contou com a curadoria de Tania Miné, da Trade Design, e de Teresa Cristina Zanon, do Labfin/Provar, da Fundação Instituto de Administração da USP. “O tema é um desafio tanto para a indústria como para o varejo independente. A discussão é de vital importância para o planejamento das ações futuras”, ressalta o diretor geral da Febrafar, José Abud Neto.


Resultados da Febrafar mostram que crise não afetou mercado farmacêutico

25/05/2018

Uma crise que não afeta quem tem planejamento. É dessa forma que a Febrafar vem tratando o atual momento do mercado farmacêutico. A federação de redes associativas conta hoje com 57 redes que representam mais de 9.500 farmácias em todo o país.


‘Saúde e Anvisa devem criar um arcabouço jurídico mais estável’

25/05/2018

Para Henrique Frizzo, sócio de Fármacos do Trench Rossi, atuação regulatória da Anvisa precisa de aprimoramento

Redação JOTA24/05/2018 – 11:59


Imunoterapia recebe duas aprovações no Brasil

25/05/2018

Pembrolizumabe pode ser usado para tratar pacientes com câncer de bexiga e câncer gástrico avançados

A imunoterapia da MSD, pembrolizumabe (Keytruda®), acaba de receber mais duas aprovações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): tratamento em primeira linha de pacientes com carcinoma urotelial (tipo mais comum do câncer de bexiga) e tratamento, em terceira linha, de pacientes com câncer gástrico avançado ou metastático.


Páginas