Início Notícias

Conheça os mitos e verdades sobre vacinação

08/12/2017

Imunização não é restrita às crianças e eficácia varia de 90% a 100%

Da Redação

06/12/2017 - 16:19

A vacina é o principal mecanismo para prevenir doenças e, consequentemente, preservar vidas. Foi a partir da descoberta da vacina contra a varíola, que a doença foi erradicada no mundo. A expectativa é que, em breve, também ocorra a erradicação da poliomielite. Estes são apenas alguns exemplos do quanto a imunização é importante. No entanto, mitos sobre o assunto prejudicam a população no combate a uma série de doenças.

Catapora, caxumba, coqueluche, difteria, febre amarela, gripe, hepatite, rubéola, sarampo, tétano e tuberculose são outros exemplos de enfermidades para as quais a vacinação está disponível. E se engana quem pensa que a imunização é restrita às crianças. Adultos também devem manter o cartão de vacinas em dia.

As vacinas protegem entre 90% e 100% das pessoas imunizadas, conforme estatísticas da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBM). Para garantir a segurança da medicação, todas as vacinas são avaliadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde (MS). Esta avaliação assegura que o produto é capaz de prevenir determinada doença sem causar prejuízos à saúde. Mesmo assim, alguns mitos e desinformações fazem com que uma parcela da população evite se vacinar.

Conheça os mitos sobre o assunto:

1)O mercúrio presente nas vacinas causa autismo: MITO. As vacinas são seguras e não causam danos ao paciente, no máximo, efeitos colaterais como dor no local de aplicação ou febre.

2)Vacinas causam desmaios: MITO. O medo da injeção ou de sentir dor podem provocar um quadro de ansiedade que desencadeie o desmaio, mas isso não está associado à vacinação.

3)Vacinas causam esclerose múltipla: MITO. Esta é uma doença do sistema nervoso central.

4)Vacina da gripe causa gripe: MITO. O vírus utilizado na composição é inativado, portanto, não é capaz de provocar a doença.

5)Gestantes não devem se vacinar: MITO. Algumas imunizações como a da gripe, hepatite B, difteria e coqueluche são indicadas para este público.

6)A mulher que está amamentando não deve se vacinar: MITO. É desejável que ocorra para a mãe não transmitir vírus ou bactérias ao bebê. A única contraindicação é a vacina para a febre amarela, que deve ser evitada nos seis primeiros meses de vida da criança, a não ser que a mãe viva em uma área de risco da doença.

7)Higiene e cuidados pessoais são suficientes para não contrair doenças: MITO. Muitas doenças são transmitidas, independente das condições de higienização.

Não descuide da imunização

Para manter uma boa saúde, não deixe de procurar orientação médica. Mantenha o cartão de vacinas em dia, principalmente o das crianças. Para quem deseja mais comodidade, a plataforma de agendamento de serviços médicos Beep Saúde, oferece aplicação de diversas vacinas. Por meio do site ou aplicativo é possível agendar a vacinação em casa ou no local em que preferir. A plataforma é gratuita e conecta médicos e pacientes, mostrando quais profissionais estão aptos para o atendimento imediato em um raio de 10 quilômetros.